Akrasia

Persona

Pessoa, Mask, Máscara, Akrasia, Spiritu, Forma, Jogo, Trapp, Brinquedo

A pessoa que somos aparece nos traços de nosso caráter, iluminados. 

Uma pessoa émais que uma máscara. E éa cara que apresentamos, o que mais se mostra. 

Acreditamos que somos de um jeito. Mas são as outras personas que dizem o que aparentamos.

A gente se fantasia da gente mesmo, e muitas vezes não somos descobertos. Por mais que tentemos nos inventar melhor, o mundo nos revela a outra face.

Um rosto  também oculta o que pensamos ser.

E nem tudo évisto. Algo fica de fora. 

Aprende-se com o outro a nos tornarmos a personalidade da feição viva.

Quem nos vêreconhece.

Brincamos com a máscara. Damos a ela mais vivacidade ou menos. Fazemos caretas para dar sentido a uma coisa e a outra. Se gostamos ou não. Quando nos fazemos de indiferentes e quando dizemos verdades.

Então mentimos sobre a nossa beleza e bondade ou o contrário. Faz de conta que éassim que sou em família, entre amigos, com a vida social.

Muitas vezes a máscara cai e nos pegamos vexados, envergonhados, tímidos e arrependidos. Outras vezes que entramos em um lugar inventamos a compleição de santidade, de angelical sentimento. Muito disso acontece em cada espaço.

A expressão da cara, a máscara, a pessoa, a persona se repete e se faz diferente. Na escola, no templo, no grupo de amigos, no trabalho, junto aos mais próximos, e com completos desconhecidos nos fazemos outro, alguém aceitável para cada ocasião, para cada momento.

O que somos transcende o tempo, a forma, os territórios por onde me estabeleço com a pessoa múltipla que sou.

Somos a beleza refletida no espelho, carranca, e monstro, estranhos por sermos o tempo todo feitos das relações e interações tão contraditórias. Bruxos, magos, feiticeiros, santificados super-heróis, grandiosos e salvadores, terríveis e bons, corajosos e temerários. 

A normalidade cansa, deseja-se ir além. Portanto brincar de ser quem somos para descobrir que somos a promessa de ser, uma vontade ulterior que não nos pertence e, com certeza, imaginamos seriamente, está com aquele que nos vê, percebe, sente, e poucas vezes se nos compreende. 

O que são partes da história está personificado em sua totalidade humana. Reflexo do que conhecemos, adivinhamos, símbolos de um passado no presente, sinais que recuperamos em nossa constante transformação.

Deixe uma resposta